Registo bibliográfico - vista completa

Bloco de identificação
MFN323,631
Bloco de informação codificada
Dados gerais de processamento-----------------k 0---y--------ba
Língua do texto, banda sonora, etc.eng
Bloco de informação descritiva
Título próprioPetrogenesis of Quaternary magmatism in S. Vicente Island, Cape Verde
Primeira menção de responsabilidadeM. J. Trindade, J. Mata, J. Munhá
Bloco de notas
Notas geraisContém 12 figuras
304[-][-] $aRegisto inserido no âmbito do Projecto e-Geo
Nota relativa a bibliografias e índices internosReferências bibliográficas
331[-][-] $aA última fase de actividade vulcânica na ilha de S. Vicente ocorreu no Quaternário e está representada por lavas e escórias de natureza essencialmente basanítica, aflorantes em pequenos aparelhos vulcânicos situados no litoral nordeste. Neste trabalho apresenta-se um conjunto de dados de química mineral e de geoquímica de rocha total, englobando composições em elementos maiores e traço, destas rochas vulcânicas quaternárias de S. Vicente. Estas composições indicam que as lavas são alcalinas sódicas apresentando grau de subsaturação variável (basanitos a metanefelinitos), num espectro composicional restrito e pouco evoluído. Como é típico de lavas alcalinas, encontram-se extremamente enriquecidas em elementos incompatíveis. Ao contrário do proposto por anteriores autores a ocorrência de metassomatismo carbonatítico não é considerada como causa significativa deste enriquecimento. A forte fraccionação entre LREE e HREE e as anomalias negativas de Rb e K nos padrões normalizados de elementos incompatíveis denunciam a geração dos magmas na presença de granada e anfíbola residual. Para a preservação destas fases residuais acessórias contribuiu o facto dos magmas resultarem de pequenas percentagens de fusão (9 a 16 %). Concluiu-se que as lavas de Calhau, as mais subsaturadas, foram geradas por taxas de fusão mais baixas e a maiores profundidades (correspondendo a pressões da ordem de 3,2 Gpa) que a média obtida para a profundidade de segregação magmática dos restantes magmas (x=2,6 Gpa). O uso de razões entre elementos incompatíveis revelou a natureza não primordial da fonte mantélica e o seu carácter fortemente heterogéneo. Demonstra-se que tanto os magmas caracterizados por profundidades de segregação magmática semelhantes como os gerados a diferentes profundidades apresentam razões entre elementos-traço fortemente incompatíveis (e.g. Ba/La) distintas, sugerindo a existência de heterogeneidades mantélicas verticais e horizontais. Tais heterogeneidades na fonte mantélica foram as principais responsáveis pela variabilidade geoquímica das lavas estudadas, sendo, no entanto, também de referir variações na percentagem de fusão e a ocorrência, para o caso de Salamansa, de processos de cristalização fraccionada incipientes (F=0,8). Para explicar as evidências químicas para a participação de anfíbola na petrogénese das rochas estudadas, é proposto um modelo que envolve a contaminação dos magmas em ascensão por fundidos enriquecidos gerados na litosfera.
Bloco de entradas de ligação
Nível de conjuntoComunicações do Instituto Geológico e Mineiro. - ISSN 0873-948X. - Tomo 90 (2003), p. 169-188
Bloco de análise do conteúdo
Nome comum usado como assuntoVulcanismo
Nome comum usado como assuntoPetrogénese
Nome comum usado como assuntoGeoquímica
Nome comum usado como assuntoBasanitos
Nome comum usado como assuntoLitosfera
Nome comum usado como assuntoIlha de São Vicente (Arquipélago de Cabo Verde)
Bloco de menção de responsabilidade
Nome de Pessoa - responsabilidade principal - parte do nomeTRINDADE, M. J.
Nome de Pessoa - co-responsabilidade principal - parte do nomeMATA, J.
Nome de Pessoa - co-responsabilidade principal - parte do nomeMUNHÁ, José
Bloco de utilização nacional
CotaE288-P1/2|LNEG

 

Redes Sociais

facebook logo

php shell shell indir alfa shell indir bypass shell indir