Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa

formação no INEP

Formação efectuada por uma equipa de técnicos da Memória de África
[Maio de 2002]

imagens de destruição ainda patentes em 2002

Estado em que ainda se encontravam as instalações em 2002 após a guerra 1998-1999.
[Maio de 2002]

Na Guiné-Bissau o processo de recolha deu-se em 2002, após a guerra civil de 1998-1999.

A "Memória de África" equipou com computadores pessoais o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa (INEP) - entidade depositária do maior espólio naquele país - deu formação aos seus funcionários sobre catalogação e indexação de registos bibliográficos e instalou e deu formação nas aplicações de informática que permitem a recolha desses mesmos registos.

Nesta instituição, devido à destruição provocada pela guerra ocorrida dentro das suas instalações, o processo foi iniciado do princípio, com a inventariação das existências.

Mais recentemente, em 2008, a Memória de África participou na criação do portal internet do INEP.

Galeria de imagens

A equipa doProjecto Memória de África durante a acção de formação decorrida no INEP-Bissau. Da esquerda para a direita:

  • Carlos Sangreman, coordenador do Projecto Memória de África;
  • Lurdes Carmo, responsável pela formação em recolha de registos bibliográficos;
  • Joaquim Pinto, responsável pela instalação da aplicação informática nos computadores do INEP.

Imagem recolhida no bairro da Cooperação Portuguesa em Bissau, local onde a equipa ficou alojada durante a formação.

Imagens: 07

Redes Sociais

facebook logo